Novo SLIME aprovado pela Anvisa promete borbulhar o mercado – Smillypoo

Novo SLIME aprovado pela Anvisa promete borbulhar o mercado

Lançamento promete substituir os slimes com boráx, surgindo uma nova alternativa para que a brincadeira com slime continue liberada para os pequenos.

Em plena época de final de ano o mercado de massas pegajosas, que ainda é um fenômeno mundial entre as crianças, vem sendo alvo de grande preocupação entre os pais e responsáveis depois que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) começou a alertar reiteradamente para os casos de intoxicação com slimes envolvendo a utilização do bórax.

O boráx é uma substância utilizada pela indústria de produtos de limpeza e cosméticos e não regulamentado para a utilização em slimes ou gelecas.

Contudo, apesar da grande preocupação de pais, autoridades, órgãos de controle e vigilância sanitária o produto e seus componentes continuam sendo comercializados livremente e utilizados por crianças e influenciadores digitais de todo o Brasil, que se divertem e compartilham suas experiências nas redes sociais com as misturas de formas, cores, ingredientes e texturas.

É importante destacar que sob o ponto de vista dos pais, além do problema de intoxicação, as slimes disponíveis no mercado têm gerado cada vez mais antipatia das donas de casa, devido ao rastro de sujeiras e de cores pegajosas impregnadas no ambiente, após a brincadeira, tais como, sofás, tapetes, paredes e outros utensílios domésticos.

“Estes slimes não tem função nenhuma, a não ser a mistura para as crianças brincarem e depois a dor de cabeça para os adultos limparem” – reclama a dona de casa Rosilene Guida, mãe de Lucas e Lorenzo de 7 e 4 anos, que adoram a brincadeira com slimes.

O bórax (borato de sódio ou Tetraborato de sódio: mineral alcalino derivado da mistura de um sal hidratado de sódio e ácido bórico) é uma substância utilizada pela indústria de produtos de limpeza e cosméticos e não regulamentado para a utilização em slimes ou gelecas, pois são considerados de grande risco a saúde das crianças. “O seu uso na fabricação de slime serve para dar liga e elasticidade ao produto. A dosagem incorreta pode causar males para a respiração e pele”, alerta Junior Tavares, diretor comercial da Estoril Química, laboratório que fornece matéria prima para indústria de cosméticos.

Para frear esta situação de risco, o estado de Mato Grosso do Sul resolveu decretar no mês passado uma lei estadual (Lei 5.429), proibindo a venda de gelecas, slimes e produtos similares que contenham o bórax em sua composição. A partir de agora quem descumprir e insistir na venda deste tipo de produto no estado arcará com o Código de Defesa do Consumidor e será cobrado multa a ser estipulada em regulamentação própria. Tal iniciativa promete ser replicada também em outros estados da federação.

Um novo conceito de slime sustentável, pois a brincadeira não pode parar!

Diante deste cenário, uma empresa de cosméticos resolveu apostar no desenvolvimento de um slime com apelo ecológico e ambiental. A Duo Comércio de Produtos de Cosméticos, conhecida pela comercialização das linhas de Supertratamento Capilar assinadas pelo Hair Style Edson Freitas, está lançando neste mês o Smillypoo, o único slime aprovado pela Anvisa ou, como está escrito no slogan das suas embalagens, o slime mágico que vira shampoo.

“Trata-se na realidade de um shampoo que, ao adicionar o ativador exclusivo, se transforma em uma slime para brincar no banho com diferentes e criativos nomes, cores, fragrâncias e texturas”, explica Wagner Duarte, diretor sócio da Duo. “Depois da brincadeira, sem perder a sua função principal de higiene e limpeza, o Smillypoo deve ser usado no cabelo e no corpo garantindo a hora do banho ser mais divertida, colorida e criativa. O produto é tão concentrado que acaba sendo usado em vários banhos”, completa.

Após o uso, o Smillypoo se transforma em uma espuma de shampoo cremosa e é imediatamente descartado, favorecendo a sustentabilidade ambiental. Desta forma, tanto a sujeira do ambiente, como os alarmantes riscos apontados por pesquisas e agências de controle são erradicados plenamente com o uso.

“Para a criança, a brincadeira está sempre em primeiro lugar. Logo, a hora do banho geralmente é o momento monótono e chato! Para algumas crianças o banho é um verdadeiro dilema e não é por pura birra. Acontece que elas não conseguem entender a importância do banho. Para elas, não faz sentido ter que parar de fazer algo divertido para entrar no chuveiro”, argumenta Jamille Dias, responsável pelo marketing e comunicação da marca, e completa:

“Queremos preencher esta lacuna, despertando nas crianças o prazer do banho de forma divertida, com uma dinâmica voltada aos aspectos lúdicos, fazendo slimes com segurança, tornando a diversão aprovada pelos pais e proporcionando alegria de verdade para os pequenos! Fazer o próprio slime é uma atividade quase que terapêutica! Ao fazerem, os pequenos exercitam sua paciência, estimulam sua imaginação e criatividade e contribuem com o desenvolvimento motor e cognitivo, raciocínio, visão, sensorialidade, entre outras funções”, conclui.

O produto promete ser uma alternativa de sucesso no mercado, pois além de resolver o problema de intoxicação, agradará tanto aos pequenos, como também aos adultos. Pelo menos essa é a aposta da Duo.

Todos os produtos Smillypoo são aprovados e registrados pela ANVISA para uso infantil e oferece ingredientes testados dermatologicamente, hipoalergênicos, sem sulfatos, sem parabenos, não testados em animais e, claro, sem bórax.

A partir dezembro já será possível encontrar Smillypoo em diversas lojas e redes de farmácias. Contudo, as vendas serão feitas também pela internet através do e-commerce da marca: www.smillypoo.com.br e em sua página no Facebook (@smillypoo) e Instagram (@smillypoobr).

Smillypoo – O slime mágico que vira shampoo.

Fonte: https://www.negociosemfoco.com/newsdino/?releaseid=224432